sábado, 24 de setembro de 2016

CENTELHA DE AMOR


Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. 

Minha sensualidade é dissimulada, Espreguiçada, Minha seriedade é abrupta e esbatida, Suavizada, Minha devassidão é pontuada e cadenciada, Charmosa, Meu medo é trêmulo e estrambótico, Excêntrico, Minha volúpia é solta e desenvolta, Inquieta, Minha empolgação é ansiosa e contida, Reprimida, Minha sexualidade é enfeitiçada e prestidigitadora, Satânica, Meus pressentimentos são recalcitrantes e insistentes, Alarmantes, Meus perigos são perceptíveis e escancarados, Ameaçadores, Minhas advertências me oprimem, Berram dentro de mim, Clamo por afeição, Minha sensualidade urge e geme, Clamo por devoção, Meu Deus, Minha Nossa Senhora, Meu Jesus Cristo, Meu Santo Protetor, Meu Anjo Da Guarda, Meu Deus Sol, Minha Isis Ressuscitadora, Meu Horus Redentor, Minha Irmã Hator, Meu Daimon Interior, Dai-me uma centelha de amor, Fazei do amor pura religião, Dai-me uma centelha de amor, Abri-me a porta da libertação, Rezai por mim com fervor, Livrai-me dessa opressão, Dai-me uma centelha de amor, Fazei do amor pura obstinação, Dai-me uma centelha de amor, Acendei-me uma luz na escuridão, Afugentai de mim este temor, Conscientizai minha repressão, Dai-me uma centelha de amor, Fazei do amor uma só nação, Dai-me uma centelha de amor, Cortai as amarras do meu coração, Curai esta minha dor, Santificai minha regeneração, Dai-me uma centelha de amor, Fazei do amor pura benção, Dai-me uma centelha de amor, Fechai-me a porta da ilusão, Mostrai-me o disco voador, Benzei minha abdução, Dai-me uma centelha de amor, Fazei do amor pura revelação, Dai-me uma centelha de amor.