quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

O QUE HÁ NUM NOME?

Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)

Dalmanuta, Que ninguém conhece, Vira Magadan, Que ninguém conhece, E nas mãos de uma versão feminina de Erich von Däniken, Vira Megadan, A ordem da Grande Dan, Uma combinação do grego Mega (grande), E Dã, Uma das 12 tribos de Israel, Onde uma das 3 Marias, Recebe o título de Mãe, De autoridade sobre os gentios, Sem poder ser tocada por um sacerdote masculino, Sem nenhum Pai, Antes de tornar-se cristã, Mas nas mãos de um acadêmico, Um teólogo temente a Deus e a Jesus, Torna-se Madgdala, Na forma acusativa, Que perdeu uma sílaba, Na analogia da representação de Migdal-Gade, Uma das cidades de Judá descritas por Josué, Magadagad em grego, Que perdeu, Acidentalmente ou por transliteração, Um i, E ganhou um a, Como se lê em muitos manuscritos, E nas mãos de um arqueólogo, Também temente a Deus e a Jesus, A cidade de Tarichae, Peixe Salgado em grego, Mencionada por Flavio Josefo em Antiguidades Judaicas, Vira a Dalmanuta de Marcos, A Magadan de Mateus, A Magdala dos historiadores cristãos, A Migdal Nunia, Torre do Peixe em aramaico, Vira um pequeno estaleiro de barcos, Uma industria pesqueira, Um lugar de luxúria e depravação, De onde vem uma mulher possuída por sete demônios, E passa a ser chamada de Maria de Magdala, Maria Madalena, Como em Jesus de Nazaré, Jesus Nazareno, Ambos estranhos à grande Gália, Porque, Segundo os espiritualistas, Jesus planejou encarnar nesta terra dos gauleses, Mas mudou de ideia porque ela foi invadida pelos romanos, E então escolheu um lugar bem pequeno, A Galileia, Que, Segundo estes mesmos crentes, Significa Pequena Gália, Mas, Na verdade, Significa Distrito dos Estrangeiros, Por causa da presença maciça de Babilônios que cruzavam com mulheres israelitas quando eles ocuparam a Palestina, E mesmo sendo todos esses nomes mitológicos, Pergunta-se: O que há neles?

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

SEGREDOS PECAMINOSOS


Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)


Esta noite, Já adulta, Sonhei que estava roubando dinheiro de minha mãe, Como fazia com 10 anos, Esse psiquismo involuntário no meu sono furta minha alma, Como quando era criança, Requinta minha sensibilidade, Como coralistas entoando cantos gregorianos num mosteiro beneditino, Reconta meu passado, Num vago misticismo de quem ainda não acordou, Do que já passou e não foi abandonado, Meu marido tem o mesmo nome de um priminho para quem mostrei minha vagina no banheiro de minha antiga casa, E insisti para que ele a tocasse, Será que a momentânea auréola do menininho ajudou-o a esquecer este despudor? E da mulher que me tornei? Será que aprenderei alguma coisa destas verdades subterrâneas que a morte esconde aos que simplesmente a temem? Ou diante dela se abandonam ao desespero? Será que segredos assim são da família, Das moscas teimosas, Que por mais que a gente as sacuda, Elas voltam e pousam? Todos os dias se juntam tamanhos bandos de reflexões em minha consciência, Que é um barulho de meus pecados, Estas lembranças são misteriosos arranjos de minhas ideias, O ar de meus próprios sentimentos, Que dão à minha vida uaspecto imoral e pecaminoso, Quantas vezes traí Deus, E me arrependi? Meu marido com palavras, Pensamentos e atrevimentos, Com a mesma leviandade que se troca um homem por outro, Como se troca burros por vacas e bois? Quantas pessoas já matei com as inconsequências de minhas ações, Poetisa narcisista na base de cuja inspiração se descobre uma falsidade radical? Em John Keats, O sentimento de beleza traía um fundo de religiosidade que conciliava o místico e o pagão, Em mim, Um martírio que posso encobrir, Com a mentirosa placidez de meu rosto, Com minha fronte audaz.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

A PERFECT DAY FOR A GIANT SOUL WITH AN UNCERTAIN SMILE

A PERFECT DAY FOR A GIANT SOUL WITH AN UNCERTAIN SMILE (POSTED ON WWW.AMAZON.COM ON JANUARY 25TH, 2009). Allbum review written by Alceu Natali with Copyright protected by Brazilian law 9610/98;





For my definition of 'great' albums please refer to my review of 'Heaven Or Las Vegas' by the Cocteau Twins. A cd store in a shopping mall is not the appropriate place to look for great music but once there was one in my neighborhood that was very promising. One of the salesmen there had an appreciation for This Mortal Coil. That was a good start. Their heap was small but not too ordinary. Side by side with disposable radio habitués you could also find a handful of classic candidates. And you could also listen to good music while browsing through their shelves. Curiously, and unlike the mainstream commercial music aired in almost every music place in town, that particular store used to play only cool songs like This Is The Day. I think that's the reason why that store did not last too long. In the 5th of all hells you cannot survive selling the real things only. The Brazilian devil's tacky taste reigns over the sanctified. I bought Soul Mining at that store that no longer exists, only because of that song. The rest of The The's albums found their way into my collection through foreign channels. Many say 2. This Is the Day is the best track. It is really very cheerful with a beautiful accordion that brings to mind the best of Dominguinhos' swinging baiao. Gorgeous! Notwithstanding, 8. Perfect, with its famous Louie Louie's progression, a fat bass and a wonderful combination of different instruments and chorus is just sublime and second to none. 4. Uncertain Smile is less cheerful but splashes sugar while the drum bounces and the guitars water the beat until it leaves room to the amazingly brilliant and classy piano performance by Jools Hollands. Magnificent! 7. Giant is an incredibly beautiful crescendo from a simple drum beat joined by discrete keyboard, a fat bass, voice, more prominent keyboards, orchestral synthesizer, machine drumming, ritualistic chanting. It grows inside and beneath you and you feel like a giant looking over the tops of the trees in a jungle. 1. I've Been Waitin' for Tomorrow (All of My Life) is an aggressive attack by a desperate singing and led by a thundering drum beat, gradually joined by a nervous bass, a low and uneasy synth, a more voracious bass and hastier voice. The sound is threatening, pressing and alarming and suddenly stops. 3. The Sinking Feeling is sort of a short version of the entire album or a first interlude if you will. And it does work. 5. The Twilight Hour sounds like an early attempt to give birth to Giant 6. Soul Mining sounds very much like a second interlude and, once again, it does work very well. Some say Soul Mining got very close to the list of best records of the 80's and that it should definitely stir some intense debate over its inclusion in that decade's finest albums. It is not in my list of the 80's but my all time's greatest.


quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

UM FIM DE SEMANA DONZELA

Texto de autoria de Alceu Natali com direito autoral protegido pela Lei 9610/98. LEIA O TEXTO AO SOM DA MÚSICA DO VÍDEO POSTADO NO FIM. Sem ela, a vida seria um erro (Friedrich Nietzsche)

Passe um fim de semana comigo, Antes que minha sorte acabe, Seus caprichos são imprevisíveis, Não haverá nenhum santo de guarda, Podemos xingar de tudo quanto é nome feio, A mulher do meu colega de Macau trabalha na Panam, Ela consegue passagens de ida e volta para Nova Iorque de graça, A empresa se aproveita do chinês, Com sotaque de Portugal, Para levar e trazer amostras de produtos de clientes americanos, Não vamos desperdiçar o viajante, E tampouco roubar-lhe a bagagem, O que há dentro dela? Oras, É o edifício Dakota onde John será assassinado dentro de 12 anos, Vamos saltar mais 9 anos no tempo, Este fino Senhor, Requestado, Por todas as valentes damas e cavaleiros, Igualmente amantes e guerreiros, Todos, Por causa de um só minuto de nostalgia e tédio da memória, Recomenda-se, Portanto, Que se abandone este dono da relatividade quando o sol estiver abaixo do horizonte, Pois não podemos salvá-lo no momento próprio, Olha só, Um bom hotel aqui na quinquagésima com a Lexington para o pernoite, Não precisamos mais descer em pousadas, Vamos subir, Cruzar a Park, Depois a Madison, Mas não viramos à direita, Hoje não é dia profesto, A quinta, Com seus olhos coruscantes, Compostura de excessivas feições de primor, fica para trás, Seguimos adiante e entramos no Radio City Music Hall, Será que a tribo dos queridos gatinhos e a noite nos escolhem para ascendermos para a ionosfera e voltarmos para uma vida nova?, Não é aqui? Na Broadway? Então para lá vamos e aproveitamos para ver o que sobrou dos vinis novinhos em folha que perderão o lugar para os discos compactos, Sabe, Quanto mais te ouço, Mais te amo, De verdade, Você não é a distância que, Através da saudade, Transporta aos amantes a imagem da pessoa amada, Você me passeia como um filho embalado nos braços de uma mãe, Me distrai como uma criança com seu brinquedo, És minha árvore mais altiva, E, Enquanto caminho, Minha sombra cobre todos os frutos que você esparrama pelo chão, És um canto de ave que me leva mais alguns anos ao futuro, Para o Forte de Loh, Onde um rio, Feito canal, Corta a cidade, E meu coração, Suas águas plácidas correm ao nível do gramado, Quase a transbordar, E nelas meu barquinho de papel poderia navegar, Como os fenícios nas suas esguias trirremes, Procurando a pálida estrela polar, E essas águas? Elas são como diamantes, Achados aos punhados, A cada lavagem, Sabe, Quanto mais te escrevo, Mais te amo, De verdade, E por estar sempre correndo rios de tinta, Sem você minha bibliografia é pobríssima.